18/01/2013

I Encontro Estratégico em Ciências Farmacêuticas e I Seminário Ibero Americano de P & D de Medicamentos

    O I Encontro Estratégico em Ciências Farmacêuticas e I Seminário Ibero Americano de P & D de Medicamentos será realizado no Piauí de 04 a 06 de Abril de 2013. Será a primeira vez que o evento acontecerá, e a capital inicialmente escolhida para sediar o evento foi Teresina. Este evento está sendo organizado pelo Programa de Pós-graduação em Ciências Farmacêuticas e pelos Cursos de Graduação em Farmácia do estado do Piauí em parceria com a Fundação de Amparo a Pesquisa do Estado do Piauí, Conselho Regional e Federal de Farmácia. Com o objetivo de nos preparamos para o evento de 2013, reuniões temáticas estão sendo organizadas em diferentes instituições de ensino superior do estado do Piauí, com o intuito de promover uma ampla discussão sobre o tema central. Diante desta perspectiva pesquisadores do país e do exterior estarão reunidos neste primeiro encontro de caráter internacional em Ciências Farmacêuticas e P & D de Medicamentos.
    Neste sentido, este material de divulgação é um amplo convite a todos para que participem e colaboram ativamente com a implementação do propósito do I Encontro Estratégico em Ciências Farmacêuticas e I Seminário Ibero Americano de P & D de Medicamentos. Convidamos calorosamente a todos para que enviem seus trabalhos, e que participem do nosso Evento Bienal e contribuam com a geração do conhecimento relacionado a P & D de Medicamentos em nosso País. Assim, esperamos contar com a sua participação e, seguramente de forma estimulante e memorável, encontramo-nos em Abril de 2013 na cidade de Teresina, para celebrarmos este evento.

  Cordialmente,
Rivelilson Mendes de Freitas
   Presidente do Evento


mais informações do evento: http://lapnex.com.br/eecf/index.html

Mirna Gois
Doutoranda em Biotecnologia
bloginfarmacia@gmail.com

12/12/2012

Capacitação!!!

I Curso Intensivo de Farmácia Magistral


Objetivo do curso: Capacitar estudantes e profissionais na área de manipulação e controle de qualidade de medicamentos.
Número de vagas: 25 
Local: Auditório do curso de Farmácia - UFPI, Teresina-PI
Carga horária: 40 horas, divididas em: 16 horas de aulas teóricas; 16 horas de práticas; 8 horas de atividades complementares. 
Observação: para o recebimento do certificado é necessário uma frequência mínima de 75%.

Inscrições: A partir do dia 10 de dezembro de 2012 na Farmácia Escola da UFPI situada no Espaço de Convivência da UFPI, Campus Universitário Ministro Petrônio Portela, Ininga, Teresina, Piauí. 
(Material didático e EPI’s inclusos no valor da inscrição).

Valor da inscrição: Estudante: R$ 50,00 (necessário apresentação do comprovante de matrícula). Profissionais: R$ 80,00.

Programação:
Cronograma Teórico / Local: Auditório do Curso de Farmácia da UFPI
Dia 14/01/201318 às 20h: Abertura e apresentação
20 às 21h: Coquetel de abertura
Dia 15/01/201318 às 20h: Semi-sólidos e líquisos (geral)
20 às 22h: Semi-sólidos (cosméticos)
Dia 16/01/201318 às 20h: Controle de qualidade
20 às 22h: Garantia da qualidade
Dia 17/01/201318 às 20h: Gestão
20 às 22h: Dispensação
Dia 18/01/201318 às 20h: Sólidos
20 às 22h: Plantão de dúvidas (via online)
Dia 25/01/201318 às 20h: Entrega das atividades complementares
20 às 22h: Plantão de dúvidas (via online)
Mais informações:
(86) 3215-5953
cifarm.turma1@gmail.com
http://www.facebook.com/ICursoIntensivoDeFarmaciaMagistral


Mirna Gois
Doutoranda em Biotecnologia
bloginfarmacia@gmail.com

11/09/2012

Ômega-3 e o desempenho escolar

     Segundo um estudo realizado pela Universidade de Oxford(Reino Unido), e recentemente publicado na PLoS One, a ingestão diária de ácido gordo ômega-3 (DHA) melhora a capacidade de leitura e o comportamento de crianças do ensino primário, como por exemplo, apresentando menos indícios de hiperactividade e desobediência.

     
     A investigação mostrou que a ingestão diária de suplementos de ômega-3 melhorou as capacidades de leitura e o comportamento de crianças saudáveis, mas de baixo desempenho.
     
O ômega-3 pode ser encontrado em: 

reportagem de Ciências hoje
Mais informações: http://www.cienciahoje.pt/index.php?oid=55480&op=all

Mirna Gois
Doutoranda em Biotecnologia
bloginfarmacia@gmail.com

22/05/2012

Células-tronco e proteção contra efeitos colaterais da quimioterapia

     Na nova pesquisa do Fred Hutchinson Cancer Research Center, publicada na revista científica Science Translational Medicine, células-tronco da medula óssea de pacientes com tumores cerebrais foram retiradas e modificadas com um gene resistente à quimioterapia. As células foram então injetadas novamente no sangue dos pacientes.
Fonte: http://1.bp.blogspot.com 


     O principal autor do estudo, Hans-Peter Kiem, disse que os resultados dos testes com três pacientes foram muito positivos. "Concluímos que os pacientes foram capazes de tolerar melhor a quimioterapia, sem efeitos negativos, depois da transplantação das células-tronco modificadas na comparação com pacientes em estudos anteriores, que receberam o mesmo tipo de quimioterapia, mas sem receber as células-tronco modificadas", afirmou ele.
     De acordo com os pesquisadores, todos os três pacientes viveram mais que a média de 12 meses de sobrevida prevista para esse tipo terminal de câncer (glioblastoma) e um deles ainda estava vivo 34 meses após o tratamento.



Mirna Gois 
Doutoranda em Biotecnologia
bloginfarmacia@gmail.com

17/04/2012

Molécula chave mobiliza células-tronco da medula para Obstrução arterial

     Cerca de 124 mil pessoas no Reino Unido a cada ano sofrem um ataque cardíaco. Os sintomas podem incluir dores no peito. Como o bloqueio de uma artéria corta o fornecimento de oxigênio para o coração, as células morrem e o coração, muitas vezes sofre danos permanentes.
     Na nova pesquisa, a equipe, liderada por Paolo Madeddu, mostra que uma molécula chave envolvida na capacidade do corpo para sentir dor, chamada substância P, é liberada de terminais nervosos no coração durante um ataque cardíaco. A substância P, em seguida, mobiliza células estaminais da medula óssea para o local da obstrução da artéria. As células estaminais têm a capacidade de gerar novos vasos para ignorar o bloqueio e restaurar o fluxo sanguíneo.
     Depois de experiências iniciais em ratos, os investigadores passaram a mostrar que a substância P liberada por nervos cardíacos podem desempenhar um papel na recuperação mediada por células-tronco após um ataque cardíaco em pacientes humanos.

Fonte: Pesquisa Piauí

Mirna Gois
Doutoranda em Biotecnologia
bloginfarmacia@gmail.com

10/02/2012

Droga contra câncer X Efeitos no Alzheimer

     O estudo sobre uma droga usada no combate de câncer foi aplicada em camundongos para verificar a redução dos efeitos do Alzheimer em camundongos nos Estados Unidos. Este teste mostrou com sucesso que o composto bexaroteno livrou o cérebro dos roedores de depósitos de proteína que provocam a doença. Este tema está na edição desta semana da revista "Science" e foi desenvolvido por pesquisadores da Faculdade de Medicina Case Western, na cidade norte-americana de Cleveland, em Ohio.



     Fragmentos de proteína conhecidos como beta-amiloides são peças-chave no desenvolvimento do Alzheimer, mas em pessoas saudáveis, esses pedaços são destruídos por uma enzima chamada ApoE. Segundo a equipe coordenada por Paige Cramer: "sabíamos que o bexaroteno é capaz de estimular a ativação da enzima. E resolvemos apostar na possibilidade do remédio conseguir aumentar os níveis de ApoE e reduzir os níveis de beta-amiloide".
     Apenas seis horas após a aplicação da droga, os cientistas notaram uma diminuição de 25% nos níveis de amiloide-beta no cérebro das cobaias. No final do experimento, o grupo obteve até 75% de queda nos níveis dos fragmentos de proteína. Os animais também apresentaram melhoras cognitivas, na interação social e no olfato.


FONTE: G1.com.br

Mirna Gois
Mestre em Ciências Farmacêuticas
bloginfarmacia@gmail.com

31/01/2012

Medicamentos e inibição da metástase de tumores primários

     Cientistas do Scripps Research Institute, nos Estados Unidos, identificaram um elemento essencial de uma estratégia comumente usada pelas células tumorais para sobreviver quando se espalham para órgãos distantes. Trata-se de uma rachadura da proteína expressa pelas células tumorais causada pelas enzimas proteolíticas. Esta rachadura desencadeia uma cascata de sinalização da célula do tumor que impede a apoptose.



   “Acreditamos que uma estratégia razoável para inibir a metástase seria tentar evitar a clivagem da proteína usando anticorpos ou pequenas moléculas de drogas que se ligam ao sítio de rachadura da proteína”, afirma a autora da pesquisa, Elena I. Deryugina.


FONTE: Biotec

Mirna Gois
Mestre em Ciências Farmacêuticas
bloginfarmacia@gmail.com